sábado, 5 de julho de 2008

PARA O MEU BANDO, QUE É QUASE TODO DA MINHA IDADE, FAZER UM BALANÇO DA SUA VIDA

Naquele tempo falavas muito de perfeição,
da prosa dos versos irregulares
onde cantam os sentimentos irregulares.
Envelhecemos todos, tu, eu e a discussão,

agora lês saramagos & coisas assim
e eu já não fico a ouvir-te como antigamente
olhando as tuas pernas que subiam lentamente
até um sítio escuro dentro de mim.

O café agora é um banco, tu professora do liceu;
Bob Dylan encheu-se de dinheiro, o Che morreu.
Agora as tuas pernas são coisas úteis, andantes,
e não caminhos por andar como dantes.

Manuel António Pina

1 Comentários:

Às 5 de julho de 2008 às 20:58 , Anonymous Anónimo disse...

Gostei,menos o saramago.As pernas adorei.E,ontem mostraram o que ainda valem.

As maiores cá do sítio

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial