sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

NEVE PARA UNS E FRIO PARA TODOS


Hoje, com este frio, fiz minhas as palavras de Alberto Caeiro:


A neve pôs uma toalha calada sobre tudo.
Não se sente senão o que se passa dentro de casa.
Embrulho-me num cobertor e não penso sequer em pensar.
Sinto um gozo de animal e vagamente penso,
E adormeço sem menos utilidade que todas as ações do mundo.

Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos"

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial