terça-feira, 12 de janeiro de 2010

ASSIM SE LEVANTA UM PAÍS

“O irregular e promíscuo funcionamento dos poderes públicos é a causa primeira de todas as outras desordens que assolam o país.

Independentemente do valor dos homens e das suas intenções, os partidos,
as facções e os grupos políticos supõem ser, por direito, os representantes da democracia. Exercendo de facto a soberania nacional, simultaneamente conspiram e criam entre si estranhas alianças de que apenas os beneficiários são os seus militantes mais activos.

A Presidência da Republica não tem força nem estabilidade.

O Parlamento oferece constantemente o espectáculo do desacordo, do tumulto,
da incapacidade legislativa ou do obstrucionismo, escandalizando o país com o seu procedimento e, a inferior qualidade do seu trabalho.

Aos Ministérios falta coesão, autoridade e uma linha de rumo, não podendo assim governar, mesmo que alguns mais bem intencionados o pretendam fazer.
A Administração pública, incluindo as autarquias, em vez de representar a unidade, a acção progressiva do estado e a vontade popular é um símbolo vivo da falta de colaboração geral, da irregularidade, da desorganização e do despesismo que gera, até nos melhores espíritos o cepticismo, a indiferença e o pessimismo.

Directamente ligada a esta desordem instalada, a desordem financeira e conómica
agrava a desordem Política, num ciclo vicioso de males nacionais. Ambas as situações somadas conduziram fatalmente à corrupção generalizada que se instalou…”

Estas opiniões, que circulam entre nós por email, retratam um período político ocorrido há 70 anos, servem perfeitamente para traduzir o que a maioria dos portugueses pensa sobre o que ocorre nos nossos dias ao mesmo nível. Salazar, o seu autor, parece que adivinhava...

2 Comentários:

Às 13 de janeiro de 2010 às 17:11 , Anonymous Anónimo disse...

minha vem amada

aqui istou para cumessar o ano falando com a minha gaibota cuerida,prezente tenhu istado sempre mas os açuntos son deficeles para mim e non tenho arrangado rebistas para ler a pulitica ten istragado tudoe otempo non temdeixadu que euba dare as minhasboltas,A GIABOTA MIMI DEZAPARECEue ja non me da bicadas,que penas me deixa,e poucu tem bindo as outra gaibotinhas

todas as minhas penas para si

gabion apaixunado

 
Às 13 de janeiro de 2010 às 18:48 , Blogger Gaivota Maria disse...

Querido gabion apaixonado

Foi o conteúdo do texto ou o autor dele que o inspiraram a escrever-me? Creio que ambos. Istopor aqui tem andado muito desolado com a sua ausência.A Mimi teve problemas em enviar mensagens porque ficou sem fumo para elas. A gaivota do sul bateu as asas e foi passar o ano fora. Ainda bem que voltou ou reapareceu para animar o espaço. Aqui estará bem abrigado da chuva se é que chove no seu céu. No meu parece um dilúvio
Um abraço

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial