quinta-feira, 12 de abril de 2012

PORTO DE LEIXÕES - O TITÃ DO MOLHE SUL

A pacatez da hora de almoço em Matosinhos foi hoje interrompida por uma explosão seguida de incêndio no molhe sul, o que separa o Porto de Leixões com a Praia de Matosinhos. A causa do acidente esteve na queda de uma parte de um guindaste - o Titã pequeno- sobre uma conduta de gás. No acidente morreu um operário e ficou gravemente ferido outro. Infelizmente não são as primeiras vítimas desta relíquia de maquinaria do século XIX. O Porto de Leixões foi construído no 3º quartel do séc. XIX ( para substituir as cargas e descargas e desembarque de passageiros que se faziam no Rio Douro porque, devido ao assoreamento da barra da Foz, elas se tornavam difícieis quando não impossíveis ou trágicas). O meu amigo Joel Cleto falará disto muito melhor do que eu, certamente. A pedra utilizada para a obra dos dois molhes que constituem o porto de Leixões, foi trazida das pedreiras de S. Gens, Senhora da Hora, por comboio, por linha férrea para o efeito construída.  Toda essa pedra foi colocada no seu devido lugar por duas gruas gigantescas. A maior, o Titã grande, estava no molhe norte, ou seja do lado de Leça. O mais pequeno, o Titã pequeno, foi o meio de construção do molhe sul, do lado de Matosinhos. Durante esta obra muitos operários perderam a vida. O acidente de hoje foi causado justamente por este último. Por razões operacionais ligadas à localização do terminal de cruzeiros, e porque se encontrava em grave estado de deterioração, a APDL mandou desmontá-lo para o mudar de sítio e restaurar.A queda da parte da grua deu-se exactamente num momento deste processo. Espero que seja possível a sua recuperação na medida em que ele faz parte da nossa paisagem marítima. 

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial