quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

De vez em quando gosto de vadiar pelas palavras

Para a gaivota da Beira Tejo:

TRAZIAS DE LISBOA

Trazias de Lisboa o que em Lisboa
é um apelo do mar:um mais além.
Trazias Índias e naufrágios.Fado e Madragoa
E cheiro a sul que só Lisboa tem
Trazias de Lisboa a velha nau
que nos fez e desfez
(em Lisboa a morrer)
Trazias a saudade e o escravo Jau
pedindo por Camões
(em Lisboa a morrer)
Trazias de Lisboa a nossa vida
parada no Rossio:nau partida
em Lisboa a partir
(Ó glória vã
não mais não mais que uma bandeira rota)
Trazias de Lisboa uma gaivota.
E era manhã.

Manuel Alegre

G.MIMI (testo extraído de um comentários)

5 Comentários:

Às 8 de dezembro de 2007 às 17:06 , Anonymous Anónimo disse...

Espero que a G. DA BEIRA TEJO goste desta minha vadiagem em sua honra.

mimi

 
Às 10 de dezembro de 2007 às 18:01 , Anonymous Anónimo disse...

Primeira canção em Lisboa

Em Lisboa é que nascem as gaivotas.
Que pena, meu amor, o mar não ser
um copo de água pura. De água para
a sede que em Lisboa eu vi nascer.

Em Lisboa. Capital do vento sul.
Coração do meu povo. A doer tanto
que a dor se tornou cor. E é azul
como a ganga dos homens do meu canto.

Em Lisboa a gente morre sem idade.
Devagar. Como se faz uma canção.
E há um pássaro que voa. É a saudade.
E uma janela aberta. O coração.

Joaquim Pessoa

 
Às 13 de dezembro de 2007 às 18:03 , Anonymous Anónimo disse...

Muito obrigada mimi. Muito bonito sem dúvida alguma.
(Gaibota da Beira Tejo)

 
Às 13 de dezembro de 2007 às 19:59 , Anonymous Anónimo disse...

Catraia do Porto

Essa linda florista do Mercado do Bolhão
A catraia mais trocista que prendeu meu coração
Fontaínhas, a Ribeira e o Bonfim eram só dela
Tinha a graça e a maneira de andorinha tagarela

Catraia bonita, de blusa de chita, saiote de lã
Dois olhos, dois sonhos e uns lábios risonhos da cor de romã
Visão que enternece e o Porto conhece de vê-la passar
Perfil agareno do lírio moreno aberto ao luar

Desde a Praça da Batalha 'té à Serra do Pilar
Queimam sonhos na fornalha dos seus olhos de encantar
E da Foz à velha Sé as areias do caminho
Sob o rasto do seu pé dizia muito baixinho

Catraia bonita, de blusa de chita, saiote de lã
Dois olhos, dois sonhos e uns lábios risonhos da cor de romã
Visão que enternece e o Porto conhece de vê-la passar
Perfil agareno do lírio moreno aberto ao luar
Visão que enternece e o Porto conhece de vê-la passar
Perfil agareno do lírio moreno aberto ao luar
Visão que enternece e o Porto conhece de vê-la passar
Perfil agareno do lírio moreno aberto ao luar.

Fernando de Carvalho

Para a mimi
(Gaivota da Beira Tejo)

 
Às 13 de dezembro de 2007 às 23:48 , Anonymous Anónimo disse...

Gostei será que esta gaivota não tem o nome tocado-g.da beira douro?Eu já sou vadia,mas agora é que vou vadiar mas pelos livros porque isto da internet não é comigo.

g.mimi

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial