sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

A UM PASSO DO AMOR - VEM AÍ O S. VALENTIM

Hoje à tarde fui ao cinema com uma gaivota deste bando. Era um filme de amor. De volta a casa na minha procura diária de um poema encontrei este, do Nuno Júdice, e não resisti a partilhá-lo com as minhas gaivotas, gabión e outros pássaros que queiram connosco celebrar o amor. E já que falámos de amor, como vem aí o S. Valentim que tal mandarem-me poesias apaixonadas para animarem o blog? Fico à espera e agora saboreiem esta:

ATÉ AO FIM

Mas é assim o poema: construído devagar,

palavra a palavra, e mesmo verso a verso,

até ao fim. O que não sei é

como acabá-lo; ou, até, se

o poema quer acabar. Então, peço-te ajuda:

puxo o teu corpo

para o meio dele, deito-o na cama

da estrofe, dispo-o de frases

e de adjectivos até te ver,

tu,

o mais nu dos pronomes. Ficamos

assim. Para trás, palavras e versos,

e tudo o que

não é preciso dizer:

eu e tu, chamando o amor

para que o poema acabe.

Nuno Júdice

3 Comentários:

Às 11 de fevereiro de 2009 às 11:35 , Blogger Gaivota Maria disse...

Caro perdigon
Não resisto a botar a sua declaração no blog em post

 
Às 12 de fevereiro de 2009 às 12:30 , Anonymous Anónimo disse...

E eu bou fiqar munto vaidozo, bou, bou.
perdigon

 
Às 12 de fevereiro de 2009 às 12:57 , Blogger Gaivota Maria disse...

Então espere que amanhã lá o irá ver

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial