domingo, 8 de novembro de 2009

FAÇO POESIA

Faço poesia
Exactamente como pinto:
Sem ideias prévias
Sem intenções
(estas reservo-as para algumas comemorações).

Por isso vagueio no papel
Como passeio na tela:
Em movimentos sem rumo
Sem expressão definida
Nem cor determinada.
Em ambas as artes
Deixo que algo aconteça
E que seja sempre diferente.

Quando obtenho imagens,
Gráficas ou visuais,
Minimamente expressivas
Do meu sentir no momento,
Marco a obra com um título
Chancelo-a com o meu nome
E deixo-a a temperar
Esquecendo-me noutras coisas.

Um dia busco-a de novo
Para avaliar o que sinto
Ao revê-la num momento bem distinto.
Se me agrada, deixo-a voar
Mas se não me encontro nela
Volto a tentar ao contrário:
Para aferir atitudes
Tento uma nova pintura
Com traços de poesia.

GM

2 Comentários:

Às 10 de novembro de 2009 às 12:17 , Anonymous Anónimo disse...

Se a sua pintura é como a poesia com que nos brinda, dá para imaginar como serão belos os seus quadros!
Um grande abraço
gaivota do sul

 
Às 10 de novembro de 2009 às 15:01 , Blogger Gaivota Maria disse...

Cara gaivota do sul
A Mimi lhe poderá dizer melhor do que eu. Não sou grande pintora. Talvez o seja na medida da poesia: às vezes calha bem. Tem mais poesia minha em http:// sorsaudade.blogspot.com
Essa é a mais íntima. Por isso esse blog não o dou ao povo que me rodeia.Acho que quem me rodeia e quem me conhece mais ou menos vagamente iria tirar ilações que seriam erradas. Um abraço
GM

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial