sábado, 13 de fevereiro de 2016

Apanhei um fio da tua história
e instalei-me nela 

sem pedir licença.
O teu silêncio
interpretei-o como permissão
para lá permanecer. 

Primeiro fiquei um pouco só
depois fui ficando, ficando.
e quase sem dar por isso
ocupei o teu espaço
e sem me tentar esconder
preenchi-o até ao fim. 

E o fio da tua história,
aquele que eu tinha puxado 
para ser parte de ti,
envolveu-se todo em mim.

SS

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial