terça-feira, 3 de novembro de 2015

ATÉ UM DIA, TERESA





PARA A TERESA


E o tempo foi passando
Os dias se fizeram noite
E as noites dias
Os meses sucederam-se
E os anos fugiram-nos pelos dedos
Sem que os conseguíssemos agarrar.
Todas juntas, e tantas que nós éramos,
Partilhámos alegrias e tristezas
Rimos e chorámos
Por tudo e por nada.
Acontecia sempre assim
Quando estávamos juntas e apenas porque estávamos juntas.
As tuas gargalhadas,
Pouco e pouco foram-se tornando risos
E depois, mais depois ainda, apenas sorrisos
porque já não tinhas forças para mais.
Mas estavas presente sempre que podias
e às vezes mesmo quando não podias.
De perto ou de longe sempre nos acompanhaste.
Só Deus é quem ordena a vida que recebemos por empréstimo.
Pensar de outra maneira é uma quimera.
Para nos consolar Ele levou-te numa tarde de sol
Sinal de que a tua nova vida será sempre em perpétua Primavera…
IL
Até sempre, Teresa. Um dia voltaremos a encontrar-nos

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial