sábado, 20 de fevereiro de 2016

TEMPO DE NÓS

Primeiro foste tu
e as palavras escritas
contando-te.
A seguir fui eu,
esboçada num quadro escrito,
meio abstracto e manchado,
que te levou uma ideia de mim.
Então perseguiste a senda do desconhecido
E buscaste-me.
E encontraste o que procuravas
porque voltaste
uma, duas, muitas vezes…
As palavras escritas
Foram-se ajustando às manchas do quadro
que deixou de ser abstracto
e  desconhecido.
Então fundimo-nos numa só imagem
que se foi modificando com o tempo
e em função do movimento das marés
que juntos temos percorrido.

GM

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial