quarta-feira, 26 de novembro de 2008

CONSTATAÇÃO... muito triste

Hoje a minha neta, que frequenta o 12º ano, veio estudar comigo a Mensagem, de Fernando Pessoa. Confesso-vos que embora ache que até percebo alguma coisa do assunto, não foi fácil. Esta geração não tem um conhecimento adequado da História de Portugal para poder entender o conteúdo daquela obra. Nem sei mesmo se a professora da disciplina o terá, dadas as dificuldades que a pequena apresentava. Mais do que um conjunto de poemas, a Mensagem é o nosso Bilhete de Identidade. Ela traça o percurso de um país pequenino que foi muito grande porque teve homens muito grandes que levaram um povo, que há muitos séculos era o rosto com que o Ocidente olhava o mar, a passar para lá da distância e a dar novos mundos ao mundo. Apesar de feita esta frase é uma realidade. E à medida que eu ia estudando com a minha "aluna do dia" ia confirmando não só o aspecto analítico do conteúdo dos poemas, mas sobretudo a sua evolução para o profético.
"Cumpriu-se o mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir-se Portugal"
E do profético saltei para o da constatação. Pensemos nas últimas semana! Que Portugal temos hoje? Que Portugal vamos deixar para as gerações futuras? A poesia que se segue ajudar-vos-á a meditar.
Que assim o façam também os nossos actuais "pequenos" governantes

2 Comentários:

Às 27 de novembro de 2008 às 10:38 , Anonymous Anónimo disse...

Não posso esta mais de acordo.
g sul

 
Às 27 de novembro de 2008 às 14:42 , Blogger Gaivota Maria disse...

Eu sei que não estou sozinha. Pena que este país não acorde definitivamente. Mas há uns tantos que o querem a dormir para encherem os bolsos e as carreiras políticas (uma coisa vai dar à outra)

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial