quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

AMOR COMO EM CASA

Regresso devagar ao teu sorriso

como quem volta a casa.

Faço de conta que não é nada comigo.

Distraído percorro o caminho familiar da saudade,

pequeninas coisas me prendem,

uma tarde num café, um livro.

Devagar te amo e às vezes depressa, meu amor,

e às vezes faço coisas que não devo,

regresso devagar a tua casa,

compro um livro,

entro no amor como em casa.

Manuel António Pina

2 Comentários:

Às 11 de fevereiro de 2009 às 22:37 , Anonymous Anónimo disse...

Eu sei que o trabalho tem sido muito e pouco o tempo, mas confesso que a chuva tem andado a dar cabo de mim e hoje, depois deste lindo dia de sol e de ter alisado as penas... que tal ir até ao blog da Gaivota Maria?
O que eu tenho andado a perder...
Música, poesia (tudo do melhor) e nem sequer falta a maravilhosa participação do gabion... repito, quem tem andado a perder, sou eu!
Agora vou continuar a ler e ouvir o que por aqui há e... espero continuar, podem contar comigo.
Não me vou pôr a ler o jornal como o gabion, até porque duvido que conseguisse encontrar um texto que se comparasse ao que ele copiou, mas... vou-me esforçar!
Uma boa noite,
gaivota do sul

 
Às 12 de fevereiro de 2009 às 12:51 , Blogger Gaivota Maria disse...

Já estávamos com saudade. Sabíamos que estava com muito trabalho e por isso perdoamos-lhe a ausência. Realmente o tempo não tem ajudado o bando a espevitar-se. Com o sol secamos as asas e agora ninguém nos agarra. Nem o gavião. Um abraço de bom regresso para si

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial