segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

200 ANOS DAS LINHAS DE TORRE VEDRAS

No momento em que se comemora o 2º centenário deste conjunto de fortificações únicas no mundo, aqui deixo 2 textos (cuja procedência está indicada) sobre a sua história:

Procurando organizar a defesa do pais contra uma eventual nova invasão, Arthur Wellesley, futuro duque de Wellington, inspirado nos trabalhos de Neves Costa, mandou construir um conjunto de fortificações, pondo a natureza ao serviço da estratégia militar. O Memorando dirigido a Fletcher, a 20 de Outubro de 1809, ordenava o reconhecimento do terreno e a fortificação dos pontos mais convenientes e defensáveis, criando um sistema de defesa a Norte de Lisboa, que viria a ser conhecido por Linhas de Torres Vedras – três linhas com um total de 152 redutos e 600 peças de artilharia, um sistema de comunicações com postos de sinais, defendido por cerca de 140 mil soldados portugueses, britânicos e espanhóis, bem como tropas portuguesas não regulares, estendidos ao longo de mais de 88km, o maior sistema de defesa efectiva na história, construído entre 1809 e 1812, sob a direcção do Tenente-coronel britânico Richard Fletcher.
Em Setembro de 1810, Napoleão, determinado a vencer a Guerra Peninsular, enviou o seu marechal André Masséna, com 65 mil homens, para invadir novamente Portugal. As suas tropas chegaram diante das Linhas de Torres Vedras, então com 126 redutos de defesa construídos. Todavia, não as conseguiram ultrapassar, tendo sido obrigados a retirar. A derrota marcou o inicio da queda de Napoleão, dando aos acontecimentos de Portugal, e particularmente da região de Torres Vedras, uma dimensão europeia.

http://www.linhasdetorresvedras.com/


A construção só ficou pronta em 1812, apresentando quatro sectores. A primeira linha tinha uma extensão de 46 km e ligava Alhandra à foz do rio Sizandro Torres Vedras). A segunda, construída a cerca de 13 km a sul da primeira, tinha um comprimento de 39 km e ligava o Forte da Casa a Ribamar. A terceira linha, defendia a praia de embarque em S. Julião da Barra, a cerca de 40 km a sul da segunda linha, tinha uma extensão de 3 km, ligando Paço de Arcos à Torre da Junqueira. Na área de Setúbal, foi edificada a última linha deste conjunto de fortificações, para evitar uma aproximação pelo sul.

6 Comentários:

Às 20 de janeiro de 2010 às 16:25 , Anonymous Anónimo disse...

ai,ai!ficei vavadindo con as saudades das outras gaibotinhas,ficu alibiado por asseitarem a minha escrita,istou aprocorar as resseitas masço leiu pulitica-uma desgrassa,
gaibota mimi adoro-te mas amar ço a g.maria---fria cumigo que da dó
G.do sul-admiro ,gosto das picadelas ironicas

isto ista um vucado pro triste
u sol hoge vrila,çacudu as minhas penas para todas as gaibotas ao son da muzica de fundo

GABION

 
Às 20 de janeiro de 2010 às 17:01 , Blogger Gaivota Maria disse...

Caro gabión
Hoje vai ser dia de grande voo para este nosso bando com as palavras gentis que nos dirigiu. Aqui o sol tem brilhado mas não sabemos se é para valer. Já andamos com as penas esfrangalhadas de tanta água. Bons voos para si também

 
Às 20 de janeiro de 2010 às 23:16 , Anonymous Anónimo disse...

Uaaaaaaaaaaaaau!!!!!!O GABION adora-nos.Ó G.MARIA,realmente estás fria como o tempo-pobre ave.Mas isto vai animar.Venham as receitas que eu experimento.Não se esqueça dos vinhos.
Não achas que esta adorável ave já merecia uns versinhos?
Havia música de fundo?Não percebi.
O que eu tinha perdido hoje se não tivesse recebido o teu telefonema!

O GABION MERECE HOJE UM BATER DE ASAS ESPECIAL

G.MIMI

 
Às 21 de janeiro de 2010 às 12:53 , Anonymous Anónimo disse...

Gaivota Maria, que é feito da música? Ontem ouvi e gostei, mas tive preguiça de comentar, eram horas de ir dormir e eu à noite fico um bocado preguiçosa... hoje, quando me preparava para comentar, nada... já não havia música! Eu sei que a Susan Boyle é feiosa, mas até tem uma linda voz e se o Michael Bublé pode cantar "Cry me a river" a Susan também pode (e até canta muito bem) não é? Até é uma música mais próxima do tempo dela, ele é que roubou...

Caro Gabion, que surpresa agradável "vê-lo" aqui de novo! E, pelos vistos, também ouviu a música...

Saudações da
gaivota do sul

 
Às 21 de janeiro de 2010 às 18:51 , Blogger Gaivota Maria disse...

Querida Mimi
Espero que o gabión te envie as receitas e o os vinhos. Não precisas é de feicar tão excitada com o pobre que deve andar afastado por ter medo de nós.
Agora há música de fundo. Foi uma coisa que eu descobri e pus para animar o espaço. Estás a ver como te faz bem falares comigo. Vou pensar em ti em Lisboa. Beijinho

 
Às 21 de janeiro de 2010 às 18:55 , Blogger Gaivota Maria disse...

Querida Gaivota do Sul
Amanhã por esta hora estarei pertinho de si, aí pela capital. Pena não dar para nos encontrarmos. Qualquer dia vou com a Mimi no Alfa da manhã e almoçamos consigo.
Realmente pus música, mas a dada altura devo ter feito uma asneira e ela foi-se. Já a recuperei e aqui tem a Boyle que tem realmente uma voz divina. Quero ver se encontro o CD dela.
Realmente já todas tínhamos saudades do gabión. Mas ele é um pássaro preguiçoso.
Um beijinho

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial