domingo, 14 de fevereiro de 2010

CONTRIBUIÇÃO PARA O S.VALENTIM

Amo-te tanto, meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade
Amo-te, enfim, como grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo, de repente
Hei-de morrer de amar mais do que pude.

Vinicius de Moraes

2 Comentários:

Às 14 de fevereiro de 2010 às 13:12 , Anonymous Anónimo disse...

Os sete pecados capitais do amor


Gula

O meu olhar
te engole e te bebe
desde tua sombra
até o que respiras

Inveja

Invejam os astros dia a dia
o brilho estelar dos teus olhos
e o sorriso nacarado
que observo sem piscar
provocas os deuses
com o tecido nobre de tua pele morena

Avareza

Não te empresto a um olhar sequer
Estou te acumulando
em memórias
só para mim

Luxúria

tens-me
lasciva e devassa
líquida
a escorrer pelo teu corpo
em forma de língua

Soberba

Têm brilho argênteo
nossas umidades
e os pêlos
luzem mais
que mil sóis

Preguiça

Arrasta-me
para fora da cama
se não me quiseres
Leva-me embora
Mas leva-me nos braços

Ira

Odeio este amor
que me extravasa
rasgando-me a pele
como a um papel.

(Adriana Costa)


Bom dia de São Valentim especialmente para si, mas também para todas as «Gaivotas» que por aqui esvoaçam, não há tempo nem idade em que se não possa namorar!

Jorge Antunes

 
Às 14 de fevereiro de 2010 às 14:46 , Blogger Gaivota Maria disse...

Um bom São Valentim também para si. As gaivotas agradecem.
Tem razão. Não é o tempo ou a a idade que impedem de namorar. O que falta às vezes é ocasião. E quando esta aparece não se deve perder

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial