sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

SEM TÍTULO MAS COM DESTINO

De repente
Despertaste

E as tuas mãos abriram-se
Como o lótus
E de ti saíram cores
Iguais as que usas sobre as telas
E afectos
Dos que distribuis
Por aqueles a quem amas
E paixão
Muita paixão
Aquele sentir íntimo
Que te agarra
E que faz de ti
A poetisa da pintura
E a pintora das palavras.

GM

6 Comentários:

Às 26 de fevereiro de 2010 às 17:57 , Anonymous Anónimo disse...

Será que esta poesia é para mim?Será????????
Adorei´
Mas olha que tu tocas muito bem ,telefonia.Eu não quero ficar atrás, mas eu escrevo para me ou vir e muitas vezes não me ouço.Fica então a folha em branco e não sei quando voltarei.

bjs
MC

 
Às 26 de fevereiro de 2010 às 18:07 , Blogger Gaivota Maria disse...

Claro que é para ti, minha ingrata. Espero que não desapareças outras vez, logo agora que tens quem te mande poesia. Ainda vamos acabar por juntar tudo e publicar a 4 mãos ( se entretanto não aparecer mais alguém a juntar-se a nós.
Com este tempo bem poderíamos ter ido à Póvoa. Estou numa fúria... Vou deixar de ouvir meteorologia. Beijinho

 
Às 26 de fevereiro de 2010 às 19:18 , Anonymous Anónimo disse...

Vamos lá publicar,já temos prática.
Lembraste?Que saudades!


G.MIMI

 
Às 26 de fevereiro de 2010 às 19:26 , Blogger Gaivota Maria disse...

Podemos utilizar as mesmas tácticas. Na net há uma editora que se a gente lhes propuser os textos ela edita o livro se lhe achar qualidade.

 
Às 2 de março de 2010 às 12:26 , Anonymous Anónimo disse...

Publiquem, vá lá, eu compro!
gaivota do sul

 
Às 2 de março de 2010 às 14:06 , Blogger Gaivota Maria disse...

Pode ser que um dia isso aconteça. Mas a MC tem um medo de mostrar do que é capaz... Beijinho

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial