domingo, 3 de maio de 2015

Desconcerto

Estou em total desconcerto.
Não sei se o meu mau estar 
é desta chuva contínua e pesada
que insiste em não parar
e que  desde madrugada
o  vento agravou bastante
ao bater  na minha porta  
e despertar-me do sono
como o som de uma granada.

Desculpa, amor, esta raiva
e não te incomodes com ela…
Isto sucede por vezes
e eu sei que vai passar.
Quando? Logo veremos…
Lembro-me que isto sucede
sempre que mais te desejo
e que por razões pessoais,
impedimento ou azar,
eu não te tenho por perto
para te poder desfrutar.

SS

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial