terça-feira, 24 de março de 2015

UM COPO DE VINHO

Um copo de vinho…

É isso mesmo!
É o que me está a apetecer
Um copo de vinho mas de
Tinto
Daquele que deixa cor no vidro
E bigodes nos lábios.

E uma manta
Quente
De pura lã
De ovelhas nossas
Que sugerem prados em dias de calor.

E um sofá
Longo
Largo
Capaz de me acolher
Como os braços de um amante.

E uma música
Bem escolhida
Talvez uma ária…
Um Bécaud…
E porque não um fado?

Quando está frio
É isto que me apetece:
O vinho para brindar
O sofá para sonhar
E a música para cenário.

Ah! Falta-me ainda uma coisa
E que é o principal:
Um livro,
Mas não um livro qualquer.
Deixo a escolha
A quem me ler.
Que receitam para aquecermos
Nas longas noites de Inverno:
Um bom romance de amor
Ou páginas de poesia?


im

4 Comentários:

Às 25 de março de 2015 às 16:11 , Blogger Alfredo Anciaes disse...

Dizia o meu avô que havia mais alegria numa pipa de vinho do que numa igreja cheia de santos.

O copo de vinho, sempre moderadamente bebido e ao Altíssimo agradecido é uma grande felicidade, sobretudo se tomado em boa(s) companhia(s).

Bom tempo pascal
e que tudo ressuscite.
AA

 
Às 26 de março de 2015 às 00:17 , Anonymous Anónimo disse...

Acho melhor uma poesia e por que não uma da tua amiga.

MC

 
Às 28 de março de 2015 às 12:11 , Blogger ESCRIVA disse...

Fico à espera dela

 
Às 28 de março de 2015 às 12:13 , Blogger ESCRIVA disse...

Caro Alfredo Anciaes: Concordo plenamente com o seu avô, sobretudo se for um tinto do Douro ou Alentejo

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial