domingo, 7 de junho de 2015

AUSÊNCIA

O meu silêncio amor
não quer dizer nada
que não saibamos.
As nossas palavras
têm atravessado a cortina da ausência
e, apesar do tempo que partilhamos
para eu e tu sermos um nós,
precisamos daquela presença
que o telefone não dá.
Não é por ele que vejo os teus olhos,
sinto o teu coração
ou o calor de um abraço.
Preciso mesmo é do embalo do teu corpo
E do castanho do teu olhar,
lençol que envolve a minha nudez
nos momentos em que tu és o meu homem
e eu tua mulher mais uma vez.


SS

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial