quinta-feira, 18 de junho de 2015

DIA/NOITE

Em cada manhã que nascia
era a algema dos teus braços
a prenderem-me
sobre os lençóis amarrotados
da noite que findara.

Em cada tarde era espera
que o sol de escondesse
e que tu voltasses
para me encontrares
antes que a lua chegasse.

Em cada noite era o regresso
do amor que sobrara da véspera
e o adivinhar das palavras invulgares
que inventaras de dia
para à noite me namorares.

Gaivota Maria

2 Comentários:

Às 15 de julho de 2015 às 23:21 , Anonymous Anónimo disse...


Isto é que é uma produção!!!!!!!!
Ensina-me como se faz---AMOR

MC

 
Às 17 de julho de 2015 às 17:59 , Blogger Gaivota Maria disse...

Faço o que gosto

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial