segunda-feira, 12 de maio de 2008

PARAÍSO

Deixa ficar comigo a madrugada,
para que a luz do Sol me não constranja.
Numa taça de sombra estilhaçada,
deita sumo de lua e de laranja.

Arranja uma pianola, um disco, um posto,
onde eu ouça o estertor de uma gaivota...
Crepite, em derredor, o mar de Agosto...
E o outro cheiro, o teu, à minha volta!

Depois, podes partir. Só te aconselho
que acendas, para tudo ser perfeito,
à cabeceira a luz do teu joelho,
entre os lençóis o lume do teu peito...

Podes partir. De nada mais preciso
para a minha ilusão do Paraíso.


David Mourão-Ferreira

2 Comentários:

Às 13 de maio de 2008 às 22:28 , Anonymous Anónimo disse...

Que filme!


g. mimi

 
Às 13 de maio de 2008 às 22:44 , Blogger Gaivota Maria disse...

Para mim é um bom guião

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial