segunda-feira, 26 de maio de 2008

SUL

A chuva bordou cortinas novas
Por fora da minha janela
Que se fiam ao sabor do movimento das gotas
E me metem pela casa dentro
Paisagens diversas a cada aguaceiro.
Sempre que olho
Há cores novas,
Movimentos variados.
Nunca são os mesmos
Como nos dias de sol.

Por vezes,
Uma enorme nuvem diáfana
Cobre como um manto de noiva
O alto da serra,
Aquele sítio onde o meu olhar costuma procurar
O sul.

Porque um dia perdi o norte
Eu não sei viver sem o sul.
Este evoca-me sempre o sol,
E traz-me energia e vida.
Não é como o equador
Apenas uma linha abstracta
Traçada por alguém desconhecido.

O meu sul é um retalho de calor
Escolhido por mim
E onde anseio construir,
Com o passar de cada estação
E o saber trazido por cada tempo,
Um novo local para outra forma de existir
Onde o ser que sou se desvaneça
Em momentos eternos de paixão.


Gaivota em terra em dia de dilúvio– Maio de 2008

9 Comentários:

Às 26 de maio de 2008 às 23:30 , Anonymous Anónimo disse...

Que lindíssimo poema... parece uma aguarela, conseguimos ver a cor e o desenho... muito bonito!

 
Às 26 de maio de 2008 às 23:33 , Anonymous Anónimo disse...

Esqueci-me de assinar o comentário anterior.
Parabéns pelo belo poema
gaivota do sul

 
Às 27 de maio de 2008 às 20:09 , Anonymous Anónimo disse...

Adorei.Porque não pintas?O poema dá um belíssimo quadro.Precisas de uma ajuda iiiiiiiiiiiiii.



G. MIMI

 
Às 27 de maio de 2008 às 23:34 , Anonymous Anónimo disse...

Esta Gaivota não se chama 'Maria', pois não?!..

 
Às 28 de maio de 2008 às 12:11 , Blogger Gaivota Maria disse...

Mimi
Estás à vontade de começares tu a fazê-lo. Maria

 
Às 28 de maio de 2008 às 14:44 , Anonymous Anónimo disse...

Há muitos anónimos, 'Maria', há muitos anónimos...

 
Às 28 de maio de 2008 às 17:52 , Anonymous Anónimo disse...

Isto está a animar!
MARIA,MARIA-quem éstu?
Eu,eu-sou aquela...Mas quem sou eu afinal?
Tua para sempre

MARIA

 
Às 28 de maio de 2008 às 23:30 , Anonymous Anónimo disse...

Frio, Maria, frio... (o palpite)
Mas há sempre calor em ti, e ainda bem.

 
Às 30 de maio de 2008 às 18:06 , Anonymous Anónimo disse...

Mas qual palpite?Ai,que eu já não sei português!Ou não me faço entender.

MARIA,MARIA

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial